Tecido Ósseo | Resumo | Ossos do Corpo Humano

tecido-osseo

No estudo da histologia, podemos observar os tecidos conjuntivos. Nesse artigo você aprenderá tudo sobre um deles, o tecido ósseo, num resumo completo.

Resumo: o que é tecido ósseo?

O tecido ósseo é o principal constituinte dos ossos que formam o esqueleto da maioria dos animais vertebrados.

Funções do tecido ósseo

O tecido ósseo tem várias funções:

  • Sustenta o corpo;
  • Protege órgãos de importância vital, como os contidos na caixa craniana e no tórax;
  • Dá apoio aos músculos, com os quais funciona como um sistema de alavancas;
  • Supre de cálcio o organismo, num intercâmbio permanente, regulado principalmente pela vitamina D e por hormônios das glândulas tireoides e paratireoides.

Características

Nos ossos, além do tecido ósseo, encontram-se também outros tecidos de natureza diferente. Assim, nas extremidades (ou epífases) dos ossos longos encontra-se o tecido hematopoiético; no canal ósseo há o tecido adiposo formando a medula óssea amarela; envolvendo o osso externamente há o tecido conjuntivo hialino formando o periósteo.

estrutura-do-tecido-osseo

O tecido ósseo é constituído de abundante substância intercelular (matriz óssea) e vários tipos de células. A matéria óssea é constituída de substâncias orgânicas e substâncias inorgânicas. Dentre as substâncias orgânicas estão os mucopolissacarídeos e as fibras colágenas, com o predomínio destas últimas.

Dos compostos inorgânicos, há o carbonato de cálcio, o fosfato de magnésio e o fosfato de cálcio, que é o mais abundante. Os sais de cálcio são responsáveis pela rigidez do tecido ósseo, enquanto que sua resistência a choques mecânicos se deve às fibras colágenas.

Tipos de células ósseas

As células ósseas são de três tipos:

  • Osteoblastos;
  • Osteócitos;
  • Osteoclastos.

Os osteoblastos são as células formadoras dos elementos da matriz óssea. São células jovens intensamente ramificadas e em grande atividade metabólica. Ligam-se entre si através de ramificações do citoplasma.

Quando adultas retraem-se, perdem os prolongamentos e estabelecem-se no interior das cavidades (osteoplastos) e passam a ser denominadas osteócitos. Nessas condições, a matriz já se encontra formada, e em torno dos antigos prolongamentos das células ficam canais por onde passam os nutrientes e o oxigênio para essas células.

Os osteoclastos são células encarregadas de destruir regiões compactas (sem cavidades) e regiões esponjosas (com numerosas cavidades medulares). Daí, consideramos o tecido ósseo compacto e o  esponjoso (onde se encontra a medula óssea vermelha).

Canal de Havers

osso

Serrando-se um osso longo transversalmente, na região mediana, e examinando-se ao microscópio uma preparação bastante delgada, nota-se uma série de lamelas ósseas paralelas entre si, dispostas em camadas concêntricas em torno de um canal central – o canal de Havers – no interior do qual encontram-se vasos sanguíneos e nervos.

Esses conjuntos (sistemas de Havers) são cilíndricos e dispõem-se no sentido longitudinal do osso. Os canais de Havers comunicam-se entre si através de outros canais, perpendiculares ou oblíquos, denominados canais de Volkman.

Renovação do tecido ósseo

O tecido ósseo está sempre em renovação, ou seja, algumas partes são reabsorvidas, enquanto que outras são formadas. A reabsorção cabe aos osteoclastos, ao passo que os osteo blastos reconstroem o tecido. Apresenta grande capacidade de regeneração. A ossificação, ou seja, a formação do teci- do ósseo, pode ser feita de duas maneiras:

Ossificação intra membranosa

Nesse caso, a partir do tecido conjuntivo embrionário formam-se os osteoblastos. Essas células secretam enzimas cujo papel é descombinar o cálcio que existe nas proteínas. Dessa forma se origina a substância fundamental, que dispõe de maneira a deixar cavidades em torno dos osteoblastos que, dentro das cavidades, passam a chamar-se osteócitos. É assim que se formam, por exemplo, os ossos chatos do crânio.

Ossificação endocondral

Nesse caso, o tecido ósseo forma-se a partir de um modelo cartilaginoso. A cartilagem, que a princípio serve de suporte, vai desaparecendo gradativamente, sendo substituída pelos elementos do tecido ósseo. Note que a cartilagem não se transforma em osso, mas é apenas substituída pelo osso. É assim que se formam os ossos longos como, por exemplo, o da coxa (fêmur), o do braço (úmero), o das pernas (tíbia e fíbula), os do antebraço (rádio e ulna), etc.

Tecido ósseo – Anatomia e Resumo

Continue aprendendo com CIÊNCIAS RESUMOS

Gostou desse artigo sobre o tecido ósseo? Compartilhe!