Fenômenos Físicos e Químicos | Exemplos | Resumo

A seguir, você irá aprender tudo sobre os fenômenos físicos e químicos, com exemplos de combinação, decomposição, simples troca e dupla troca (ou reação mútua).

Definição

A noção mais comum que têm os leigos sobre o que se chama fenômeno, é errônea. Pensa-se que os fenômenos são fatos extraordinários, excepcionais, pouco vulgares.

A verdade é outra: tudo quanto se passa na natureza, entre os seres que a compõem – transformações, modificações, umas simples, outras complexas – tudo, as mínimas coisas como os grandes cataclismas, pode ser definido por esta simples palavra: fenômeno.

A evaporação de um corpo, sua solidificação, ou sua sublimação, a destilação de um bocado de água ou a sua filtração, o som que nos faz ouvir uma lâmina de estanho machucada, ou a dissolução de urna substância em outra – tudo são fenômenos, fatos naturais que podemos, em sua quase totalidade, reproduzir nos laboratórios. Os fenômenos podem ser físicos e químicos.

Exemplo de fenômenos físicos

Se aquecermos um pouco de água, fazendo-a vaporizar-se e recolhermos esses vapores num recipiente de paredes frias, onde se opere a sua liquefação – o que provocaremos é uma sucessão de fenômenos físicos, vaporização seguida de condensação, que não alteraram, absolutamente, a composição da água, nem deram origem a substâncias novas. Isto é o que caracteriza os fenômenos físicos. exemplo-de-fenômeno-físico

“Os fenômenos físicos não dão em resultado substâncias novas, isto é, a substância que sofreu o fenômeno não se altera em sua composição, continua a ser o que era.”

Fenômenos químicos

Imagine-se que colocamos em um tubo de ensaio algumas raspas de zinco e, sobre elas, um pouco de ácido clorídrico. Opera-se um fenômeno químico característico, porque, durante a efervescência que então se produz, uma nova substância se vai formando: o cloreto de zinco.

E os gases que se desprendem são no tubo, nem zinco nem ácido clorídrico, mas apenas, cloreto de zinco. E os gases que se desprendem são gases de hidrogênio. Eis o que se chama um fenômeno químico.

Outro exemplo clássico de fenômeno químico é a oxidação de metais, resultado da reação química entre o ferro e o oxigênio.

oxidação-exemplo-de-fenômeno-químico

“Os fenômenos químicos dão em resultado o aparecimento de novas substâncias, isto é, a substância que é sede do fenômeno pode desaparecer, parcial ou totalmente, surgindo, em seu lugar, outra ou outras.”

Diferenças entre fenômenos físicos e químicos

Para bem distinguir, portanto, os fenômenos físicos e químico, devemos observar os efeitos que não raro são diferentes embora a causa seja a mesma. Por exemplo: vamos aquecer uma substância sem outro meio senão o de realizar um simples fenômeno físico e, a certa altura, verificamos que ela se transforma em outra, o que representa, é claro, um fenômeno químico. A causa foi a mesma: o calor. O efeito é que foi diverso.

Experimento

Outro exemplo: atritamos uma substância qualquer para o fim de pulverizá-la, isto é reduzi-la a partículas menores, sem alterar a sua composição e, do momento, presenciamos a produção de gases, isto é, o aparecimento de uma nova substância.

Eis aí. O atrito que provocaria a simples pulverização da substância – fenômeno físico – provocou alteração da sua composição, com produção de um novo corpo – fenômeno químico.

Estes exemplos são bastante claros. Por vezes, entretanto, toma-se difícil distinguir qual a natureza do fenômeno, tão confusos são os resultados. Daí decorre o admitir-se, hoje, uma terceira categoria de fenômenos – os fenômenos físico-químicos, para os casos de confusa caracterização.

Exemplos de fenômenos químicos

As combinações a seguir constituem exemplos bastante eloquentes:

fenômenos-químicos-exemplo

Trata-se, nesses exemplos, de reações de síntese, isto é, de combinações. Note-se, aliás, que as substâncias empregadas se achavam em determinadas proporções. Se assim não acontecesse, a reação se daria de qualquer modo, mas sobraria, sem reagir, a parte do reagente que se achasse em excesso.

Análise

Saiba-se, ainda, que, após a reação, as substâncias que se combinaram perdem as suas propriedades peculiares. E, finalmente: a combinação só se realiza entre aquelas substâncias cujos átomos possuem uma certa atração, o que, em química, se denomina afinidade.

Há, portanto, afinidades entre o oxigênio e o hidrogênio, entre o cloro e o hidrogênio, entre o enxofre e o ferro, segundo se observou nos exemplos dados. Caracteriza-se, portanto, um fenômeno químico.

Tipos de fenômenos químicos

Os fenômenos químicos são também denominados reações. Quatro são os seus tipos principais:

  • combinação,
  • decomposição,
  • simples troca
  • dupla troca ou reação mútua.

Combinação é um fenômeno químico mediante o qual duas ou mais substâncias, reunindo-se, formarão urna outra.

Decomposição

Decomposição é o processo químico, mediante o qual as substâncias se desdobram em seus componentes.

Tais reações são chamadas também de desdobramentos ou de análise. Poderíamos dar, como exemplo, a decomposição das substâncias que se formaram nos exemplos de combinação: o ácido clorídrico, a água e o sulfeto de ferro.

Exemplo de decomposição

Desejamos, porém, oferecer outro exemplo de decomposição. É o do óxido de mercúrio (HgO). Aquecendo-se este corpo, num tubo de ensaio, observa-se primeiro o desprendimento de um gás, que é o oxigênio (ele aviva um ponto em ignição de um palito de fósforo).

Depois, deixando o tubo esfriar completamente, nota-se, a meia altura da parede interna, uma substância prateada formando um anel, substância que não é outra senão o mercúrio. O esquema abaixo ilustra o que foi dito:

fenômenos-químicos-decomposição-exemplo

O principal fator das reações de decomposição é o calor. Caracteriza-se então o fenômeno químico

Simples troca

Simples troca é a reação observada nos fenômenos químicos que se opera entre uma 1 substância simples e uma composta, com substituição de um dos componentes desta última.

Exemplo de simples troca

Mergulhando, no ácido sulfúrico, um prego, observamos o desprendimento de bolhas gasosas de hidrogênio. É que o ferro existente no prego substituiu o hidrogênio contido no ácido sulfúrico. O resultado é a transformação deste composto em um outro: o sulfato de ferro, que é um sal.

Dupla troca ou reação mútua – fenômenos químicos

Dupla troca ou reação mútua é o fenômeno químico que verifica quando duas substâncias compostos, diferentes, postas em contato, trocam elementos entre si, dando origem a duas novas substâncias, inteiramente diversas das primeiras

Exemplo de dupla troca

Derramando-se algumas gotas de solução de nitrato de prata (AgNO3) sobre um pouco de solução de cloreto de sódio (NaCI), observa-se a troca de lugares entre o sódio e a prata e o aparecimento de duas novas substâncias: o nitrato de sódio (NaNO3) e o cloreto de prata (AgCI), que formam um precipitado branco. Pode-se observar o que foi dito na figura abaixo:

Estrutura dos componentes

Seja qual for a origem de uma determinada substância, os seus componentes se encontram sempre inalteravelmente, nas mesmas proporções. Quer obtenhamos a água por uma deliberada combinação dos seus elementos constituintes, quer ela se origine no curso de reações químicas outras, a sua composição constará, sempre, de dois volumes de hidrogênio e um de oxigênio.

Caracteriza-se então mais um fenômeno químico. A sua fórmula química, portanto, é, em qualquer momento, H2O; como a do ácido clorídrico é HCl, como a do cloreto de sódio é NaCI e assim por diante.

Fenômenos físicos e químicos – Resumo

Continue aprendendo sobre CIÊNCIAS RESUMOS