Dingo, o cão selvagem australiano – Características – Resumo

dingo-o-cão-selvagem-australiano

dingo é um mamífero da família dos canídeos. Nesse artigo você aprenderá tudo sobre esses cães selvagens australianos em um resumo completo.

Os cães selvagens

Por muito tempo se teve como certo que determinados cães selvagens, que vivem próximo do homem em estado de semi domesticidade, descendiam de cães domésticos que haviam retornado a um estado de selvageria mais ou menos acentuada, ou porque tenham fugido ou porque foram abandonados por seus donos.

Dava-se a estes cães selvagens o qualificativo de baguás, termo usado no Brasil para designar os animais que escapam para o mato. Os mais conhecidos são os Dingos.

Dingo – O cão selvagem australiano

O Dingo (Canis dingo) é o cão selvagem da Austrália. Tomando-se por base o fato de que ele é o único placentário, à exceção de alguns morcegos e raros roedores parentes do rato, num continente em que todos os mamíferos são marsupiais, considera-se que foi importado pelo homem em estado doméstico e que, posteriormente, voltou ao estado selvagem.

A descoberta de ossadas fósseis de dingo misturadas com as de grandes Marsupiais da era terciária, tais como o Nototherium e o Diptodon, parece enfraquecer esta teoria, pois é discutível a existência do homem na era terciária.

Características do dingo

O dingo tem, mais ou menos, as dimensões de um pastor alemão de talhe médio. Tem corpo robusto e cabeça grossa e maciça com um focinho curto. As orelhas, retas, são grandes na base e arredondadas na extremidade; a cauda, que desce até o jarrete, é muito fornida, e os membros apresentam-se mais robustos porque, em parte, não são muito longos.

O pelo, curto e uniformemente ruivo, é mais claro no ventre que no dorso. Às vezes encontram-se Dingos de outra cor. Acredita-se, entretanto, que não sejam de raça pura, pois os cruzamentos com cães-domésticos são cada vez mais frequentes.

dingo-australiano

Por seu modo de vida, o Dingo assemelha-se ao lobo. Só sai de seu refúgio quando a tarde já está no fim, e ataca todos os animais terrestres; caça sozinho ou em pequena matilha de 5 ou 6 indivíduos, quase sempre formada pela mãe e seus filhotes.

Alimentação

O dingo alimenta-se à custa dos imensos rebanhos de carneiros da Austrália, chegando mesmo a atacar os bezerros; constitui também um perigo para os cangurus e outros animais, grandes e pequenos.

Curiosidades do dingo

O dingo só teme os cães domésticos, que lhe dão impiedosa caça. As ninhadas de Dingos são constituídas de 6 a 8 filhotes, que geralmente nascem num buraco ou sob as raízes de uma árvore. Em caso de perigo, a mãe apressa-se a carregá-los para o abrigo.

Todos os dingos fogem da presença do homem. Contudo, quando se sentem acuados e sem outra alternativa, voltam-se contra seus perseguidores e os atacam com o furor do desespero. A resistência destes animais é simplesmente assombrosa.

O dingo pode ser domesticado?

o-dingo-pode-ser-domesticado

Durante muito tempo acreditou-se não fosse possível domesticá-lo. Os indígenas australianos, entretanto, criam às vezes dingos para a caça. Diz-se que eles vivem nas casas em estado de semi domesticidade e que frequentemente fogem.

Os indivíduos que chegaram à Europa sempre se mantiveram selvagens e ariscos, mas o comportamento deste animal provavelmente depende da idade em que o capturaram e da maneira como foi tratado no primeiro período de sua vida.

O dingo é um animal inteligente e, quando capturado suficientemente jovem, amansa com facilidade. Se seu aspecto fosse mais atraente, há muito que o homem o teria procurado para explorar-lhe a esperteza e o faro, que o tomam particularmente adequado à prática da caça.

Gostou desse artigo sobre o dingo? Compartilhe!