Cetáceos – Mamíferos marinhos – Características, curiosidades – Exemplos

cetáceos

De todos os mamíferos, os Cetáceos mostram-se mais perfeitamente adaptados ao elemento líquido. Nesse artigo você verá as características, curiosidades e exemplos desses mamíferos marinhos.

Exemplos de cetáceos

São exemplos de cetáceos os mamíferos marinhos da família dos misticetos (formada pelas baleias) e os odontocetos (formada pelos golfinhos).

Habitat – Mamíferos marinhos

Enquanto os Pinípedes passam um terço de sua existência em terra firme e os Sirênios habitem águas pouco profundas e pouco se afastem dos rios, os Cetáceos vivem em pleno oceano, único habitat capaz de lhes oferecer alimentação suficiente.

Características dos cetáceos

O corpo desses mamíferos marinhos, que é maciço, afunilado, perfeitamente hidrodinâmico, revestido de uma pele oleosa muito lisa, que lhe facilita os movimentos, termina numa grande nadadeira caudal, disposta horizontalmente, que serve à propulsão e permite ao animal mergulhar e voltar à superfície.

Nadadeiras peitorais funcionam como estabilizadores e uma dorsal, adiposa, lhe acentua a semelhança com os peixes. A enorme massa dos Cetáceos diminui a densidade e facilita a flutuação, ao mesmo tempo que fornece excelente proteção térmica a esses mamíferos marinhos.

características-dos-cetáceos

A cabeça enorme une-se ao tronco sem qualquer solução de continuidade. Os membros anteriores têm o aspecto de nadadeiras; o braço e o antebraço, muito curtos, ficam no mesmo plano e os dedos, bem longos (eles têm, ás vezes, até 14 falanges), em número de 3 ou 5, são recobertos de pele, sem qualquer vestígio de unhas.

Anatomia dos cetáceos

A massa nervosa desses mamíferos marinhos é muito variável segundo a espécie. Em um balenóptero de 100 toneladas o encéfalo pesa 7 kg, enquanto que nos delfins de 150 kg ele pesa 1 kg. A beca de grandes proporções é dotada de inúmeros dentes ou barbatanas.

A língua particularmente desenvolvida, uma completa ausência de glândulas salivares e o estômago dividido em compartimentos, cujo número varia de 4 a 14, representam as principais características do aparelho digestivo dos Cetáceos.

anatomia

Os órgãos dos sentidos mostram-se muito pouco desenvolvidos: os olhos são pequenos e as orelhas apenas visíveis exteriormente, mas apesar disso têm muitas vezes uma visão razoável e parecem perceber bem os ruídos, pelo menos os produzidos na água, o que já não acontece com os sons produzidos no ar. Quanto aos órgãos respiratórios os Cetáceos se mostram bastante originais.

O nariz, que não tem qualquer função olfativa, se reduz a uma venta, simples conduto de ar, desembocando na parte superior do crânio e descendo verticalmente na cavidade nasal. A laringe atravessa a faringe como um canal separado e divide o esôfago em dois ramos laterais.

Respiração dos cetáceos

Em geral, esses mamíferos marinhos ficam perto da superfície porque têm que pôr a cabeça fora da água para respirar. Depois de uma inspiração profunda mergulham para o fundo, onde podem permanecer de 10 a 20 minutos sem respirar, às vezes bem mais do que isso, pois algumas baleias arpoadas podem permanecer até 2 horas imersas.

baleia-respirando

O volume dos pulmões, comparado ao do corpo, não é, entretanto, maior nas baleias do que no homem. Na realidade apresenta-se, proporcionalmente, 50 por cento menor.

Além disso, se constituem, em grande parte, de um tecido elástico que permite uma ventilação muito rápida. O transporte de oxigênio para os tecidos toma-se bem dosado, graças à grande quantidade de glóbulos vermelhos que garantem sua fixação.

Além disso, o excesso de gás carbônico não provoca, nos Cetáceos, reações tão brutais como nos outros mamíferos.

Curiosidades sobre os cetáceos

A voz dos Cetáceos tem sido objeto de numerosas discussões. O fato desses mamíferos marinhos possuírem uma glote demonstra que devem ter voz ainda que raramente se façam ouvir, e experiências numerosas demonstraram que os delfins emitem e recebem sons variados na gama sonora dos ultrasons.

Alimentação

Todos os Cetáceos são carnívoros e provavelmente só consomem vegetais quando não dispõem de outro alimento. Embora os Odontocetos sejam todos predadores e até mesmo canibais, os Misticetos se contentam com animais muito pequenos, peixes, crustáceos, moluscos sem concha, medusas, plancto, etc.

Assim, a baleia, para citar apenas um desses gigantes dos mares, tem que comer, de cada vez, vários milhões ou mesmo bilhões de pequenos organismos marinhos.

Reprodução dos cetáceos

O tempo de gestação desses mamíferos marinhos varia de 6 a 20 meses segundo as espécies e normalmente há apenas um filhote por parição. O recém-nascido, que mede um quarto ou até um terço do comprimento de sua mãe, é de uma precocidade surpreendente, como no caso da baleia-azul que mede cerca de 7 m ao nascer e já pesa 2.000 kg.

Gostou desse artigo sobre os cetáceos? Compartilhe!