Girafa – curiosidades sobre o animal – Como as girafas dormem?

curiosidades-sobre-a-girafa

Uma curiosidade da girafa é sua distribuição de peso corporal. A parte anterior do corpo é tão pesada que o animal não poderia levantar as patas da frente só com a força de seus músculos. Vê-se, então, obrigado a dobrar o pescoço para trás, a fim de deslocar seu centro de gravidade.

As patas traseiras, por sua vez, não podem erguer-se do chão senão quando a girafa move para a frente o longo pescoço, que não para de oscilar da frente para trás, como o mastro de um veleiro agitado pelas vagas.

Também quando quer beber ou comer ervas este animal é prejudicado por sua estranha conformação. Acreditava-se antigamente que a girafa se ajoelhava para fazer isso: hoje sabe-se que ela só se ajoelha em casos excepcionais.

Fora disso, abaixa normalmente a parte anterior do corpo e afasta as pernas dianteiras como um compasso aberto para permitir que seu longo pescoço atinja o solo. Para se deitar, começa por se abaixar, apoiando-se na articulação das pernas anteriores: em seguida, junta e dobra as pernas posteriores, repousando por fim no chão, sobre o peito à maneira do camelo.

Como as girafas dormem?

Como as girafas dormem? Durante o sono, estende-se um pouco sobre um dos lados, dobra uma ou ambas as pernas dianteiras, vira o pescoço para trás e repousa a cabeça sobre as coxas numa posição curiosa. O sono da girafa é muito leve e dura pouco; aliás, ela consegue passar vários dias sem dormir e, segundo parece, pode repousar de pé.

Alimentação

Em virtude de sua morfologia, a girafa é muito mal adaptada para comer a erva, mas atinge com facilidade as folhas das árvores, em particular as de uma mimosácea (Accacia giraffae) e as colhe com a língua, que é extremamente móvel e da qual se serve com muita destreza.

Curiosamente, gosta também de arrancar as numerosas plantas trepadeiras que cobrem os troncos das árvores dos bosques da África setentrional. Como essas árvores não são muito mais altas que ela, a girafa consegue seu alimento cotidiano sem qualquer dificuldade, tanto mais que seus lábios, como os dos camelos, são inteiramente insensíveis aos espinhos pontudos dos vegetais que constituem sua ração.

Quando estes vegetais estão frescos e cheios de seiva, o animal pode passar muito tempo sem água, mas, nos períodos de seca, percorre vários quilômetros para ir beber nas poças brejosas ou nos charcos deixados, na época das chuvas, pelas cheias dos rios.

Curiosidades

Como curiosidade, a girafa tem os sentidos muito aguçados, especialmente a vista, o ouvido e o olfato, e seu psiquismo parece muito desenvolvido. Em contrapartida, é completamente muda. Naturalmente dócil e pacifica sabe, entretanto, defender-se bem, quando necessário, dando coices violentos.

Os árabes da região do Chad caçavam-na a cavalo. Nas distâncias curtas um bom cavalo dificilmente alcança a girafa. Esta, contudo, embora possa percorrer sem fadiga aparente distâncias consideráveis quando pode escolher o andamento que lhe convém, esgota-se rapidamente se obrigada a manter um galope muito rápido. E os cavalos do Chad tinham adquirido grande notoriedade na especialidade. Atualmente, a caça é interdita em quase toda parte.

Muito procurada pelos nativos, tanto por sua carne, abundante e saborosa, como por sua pele muito resistente e por sua cauda, de que se fazem mata-moscas, a girafa, animal pouco prolífico, quase chegou a desaparecer.

Gostou desse artigo sobre as curiosidades da girafa? Compartilhe!