Furão | Animal de Estimação | Como Cuidar | Curiosidades

O furão é um mamífero silvestre muito apreciado como animal de estimação. Nesse artigo você aprenderá tudo sobre ele em um resumo completo.

Características do furão

Parecido com uma doninha, o furão caracteriza-se por ter crânio estreito, focinho afilado, orelhas curtas e redondas, corpo esbelto e alongado, patas curtas com pés e mãos de dedos largos e cauda coberta por densa pelagem.



Mede de 30 a 45 cm de comprimento, dos quais 15 cm pertencem à cauda. A dentição é um dos caracteres importantes que distinguem os Mustelídeos do gênero Mustela dos do género Martes. Os primeiros possuem apenas três pares de pré-molares em cada arcada, enquanto que o gênero Martes é dotado de quatro pares.

Além disso, no gênero Mustela os 34 dentes são mais próximos uns dos outros, a cabeça é mais maciça e o focinho sensivelmente mais curto. O furão possui glândulas anais desenvolvidas que secretam um líquido fétido.

características

Como os outros Mustelídeos europeus, o pavilhão da orelha apresenta uma prega no bordo inferior, chamada bolsa da orelha, cuja função não é ainda conhecida. O traço característico do furão é sua coloração. Ao contrário dos outros membros do seu grupo, ele é mais escuro no ventre que no dorso.



Pelagem

A pelagem é castanho-anegrada, tornando-se castanha na região dorsal do corpo. Manchas esbranquiçadas irregulares marcam a cabeça, enquanto que o bordo da orelha se apresenta branco.

Os setiformes são muito mais claros que os viliformes, variando à coloração deste animal de uma estação para outra. No inverno, a pelagem de base mostra-se densa e longa, tornando-se a tonalidade geral dó furão mais clara.

Habitat natural do furão

O furão tem ampla distribuição geográfica e é encontrado em todas as zonas temperadas da Europa e, na Ásia, ao norte do Himalaia. Ocorre também na Ásia Menor e em Marrocos.

habitat-natural-do-furão



Adapta-se aos mais diversos habitats, vivendo tanto nas planícies como nas montanhas, nos bosques e nos campos. Mas prefere as vizinhanças dos povoados e das fazendas.

Durante a época do cio, procura as regiões florestadas, próximo às zonas habitadas, onde se instala sob montes de lenha, ocos de árvore ou tocas de coelhos, após ter devorado os seus ocupantes.

Comportamento

No inverno, abriga-se em ranchos abandonados, ou mesmo nas fazendas, escondendo-se nos celeiros e nos sótãos. Seus movimentos são sempre ágeis, rápidos e seguros. Introduz-se em qualquer lugar e é capaz de executar saltos prodigiosos. Corre muito bem, mesmo em superfícies muito estreitas, trepa, nada e mergulha com facilidade.

Quando atacado reage com valentia e ferocidade, e, se acuado, lança um jato de secreção das glândulas anais sobre o atacante, pondo-o em fuga. Como o texugo, é dotado de extraordinária resistência a ferimentos e golpes. Por outro lado, não consegue escapar aos ataques das aves de rapina, que são seus mais perigosos predadores.

Andando para trás

O furão tem o curioso hábito de andar para trás, o que faz em três circunstâncias: quando se diverte com seus companheiros; quando, para se defender, lança a secreção de suas glândulas anais, eriçando o pelo, mostrando os dentes e gritando ameaçadoramente; e, por fim, quando busca um lugar para defecar.

Alimentação do furão

O furão digere em tempo muito curto: 60 minutos depois de ter comido, traços dos alimentos ingeridos aparecem nos excrementos, que deposita sobre uma pequena elevação, uma pedra ou um monte de terra, e de que se aproxima com a cauda erguida e caminhando de costas.

alimentação

Animal noctívago, o furão passa o dia em seu abrigo, que só deixa à noite para caçar. Alimenta-se de vertebrados e invertebrados, além de frutos (uvas, em particular) e mel e chega até a atacar serpentes, a cuja peçonha tem uma resistência comparável à do ouriço cacheiro e do mangusto.

Mas são os Roedores que constituem a base de sua dieta. Grande predador das espécies mais prolíficas, o furão devora inclusive os camundongos e os ratos-caseiros, ao passo que a maioria dos Carnívoros se contenta em matá-los sem os comer, repelidos pelo odor que exalam.

Comportamento como predador

O comportamento do furão frente aos roedores é característico: quando os mata, procede sempre da mesma maneira, sangrando-os no pescoço. Esta prática parece ser aprendida com a mãe, pois furões criados na ausência dela não procedem dessa forma e mordem suas presas não importa onde.

O instinto predador do furão independe de seu apetite: continua a matar quando está satisfeito e esconde suas vítimas para devorá-las mais tarde. Nos galinheiros, onde faz sangrentas incursões devido à abundância de presas, causa grandes prejuízos: mata, mordendo-lhes o pescoço, todas as aves que se movem à sua frente e, esgotado, acaba adormecendo no local.

Contrariamente ao que se acreditou durante muito tempo, o furão não suga o sangue de suas presas para se alimentar, limitando-se a lamber o ponto onde mordeu.

Reprodução: os filhotes do furão

O furão é um animal solitário e ele só procura a fêmea durante o tempo necessário à reprodução e à criação dos filhotes. A época do cio vai de março a junho. Em geral, as fêmeas entram em cio apenas uma vez por ano; ou então duas, quando não fecundadas da primeira vez.

filhotes-de-furão

A ovulação sobrevém logo após a cópula e a gestação dura cerca de dois meses, podendo contudo ser abreviada se a temperatura for particularmente quente. As ninhadas são de três a sete crias, que nascem surdas, cegas e cobertas por uma pelagem rala, de cor branca.

Após 20 dias de amamentação, começam a receber alimentação sólida, tendo ainda os olhos fechados. Ao fim de três meses, atingem seu completo desenvolvimento, e o grupo familiar se dispersa. Com 9 meses, os jovens furões já estão em idade de se reproduzirem e o ciclo recomeça.

Furão como animal de estimação

Conforme descrito anteriormente, em seu habitat natural e em condição selvagem o furão é um predador agressivo e não muito amigável. Não gosta de ser carregado no colo por seres humanos como se fosse um gato ou cachorro.

furão-de-estimação

Entretanto, desde que adotado ainda filhote, essa repulsa não se torna tão evidente. Tem o comportamento para com os humanos semelhante à um gato. Já se for adotado um animal adulto, a experiência com certeza não será nada agradável.

Como cuidar de um furão?

É importante salientar que o furão é um animal muito ativo e flexível, possuindo uma grande mobilidade. Assim como quem adota gatos, é imprescindível que se feche as janelas e demais aberturas da casa com telas ou outro tipo de obstáculo, pois se o animal conseguir escapar para a rua, as chances de morrer ou sumir são altíssimas.

Normalmente o furão doméstico é criado em uma grande jaula, a qual deve ser constantemente limpa e higienizada para a saúde do animal e dos próprios tutores. É um animal que possui uma capacidade de aprendizado parecida com a de um gato.

Alimentação

Quanto a alimentação, pode ser alimentado com ração específica encontrada em pet shops. Não se deve alimentar um furão com carne crua, pois pode contrair bactérias. Por ser um animal criado em cativeiro, não possui o mesmo poder de combater tais bactérias.

Deve se ter o cuidado e dedicação de levar o animal constantemente ao veterinário, para que este o examine sempre e aplique as vacinas correspondentes.

Curiosidades do furão

Os massacres que o furão periodicamente causa entre as criações levam o homem a combatê-lo. Todavia, ele presta serviços relevantes como predador de roedores, e seria mais lógico proteger a fauna doméstica do que exterminá-lo. Sua pele, se bem que isolante, macia e resistente, é pouco apreciada por causa do mau odor, que nunca perde.

Os pelos da cauda são utilizados, como os da marta e os do texugo, na confecção de pincéis. Quanto à carne, é tão pouco comestível que até os cães a recusam. Os furões amansam com facilidade quando capturados muito jovens, mas seu odor nauseante e seu instinto sanguinário tomam sua presença incômoda.

Como cuidar de um furão (ferret)

Continue aprendendo sobre CIÊNCIAS RESUMOS

Gostou desse artigo sobre o furão? Compartilhe!