Búfalo indiano – Características, alimentação, peso – Resumo

búfalo-indiano

O búfalo-indiano (Bubalus bubalis) é um Bovino doméstico que se encontra em todo o oriente, desde a Tunísia até as Filipinas. Foi introduzido pelo homem no Ceilão, na Indonésia, na Austrália, na Europa meridional (Grécia, Itália, Romênia) e no Brasil (ilha de Marajó, Amapá e outros pontos esparsos). Aprenda mais sobre esse mamífero nesse resumo completo.

Búfalo selvagem

Deve existir ainda em estado selvagem no Nepal, Bengala e Assam, mas alguns naturalistas pensam que se trata te animais domésticos que retornaram vida selvagem. O búfalo-indiano mede de 2,50 m a 3 m de comprimento, a que se acrescentam 60 cm a 1 m de cauda, variando a altura, no garrote, de 1,50 m a 1,80 m.

Peso do búfalo

O peso do búfalo adulto atinge de 700 a 800 kg. A cabeça mostra-se menor e mais larga que a do boi doméstico, e o pescoço, que é grosso, apresenta-se com numerosas dobras na arte anterior, mas sem papada.

Características

O corpo revela-se maciço, arredondado, a linha do dorso eleva-se um pouco o garrote, onde forma uma bossa. As pernas robustas são relativamente baias e munidas de cascos longos e largos. Como as articulações das falanges se mostram muito móveis, o animal dispõe de uma considerável superfície de apoio, o que representa uma nítida vantagem em terreno úmido.

Os cornos, achatados e muito desenvolvidos, dirigem-se para trás de maneira quase horizontal, e podem medir mais de 1 m de comprimento. Graças à sua pouca densidade e à sua grande superfície, servem como flutuadores quando o animal nada, ajudando-o a manter a cabeça fora da água.

O pelo, curto e raro, é cinzento-bruno. Como grande parte do corpo e dos membros se apresentam nus, o tom dominante é o da pele, ou seja, negro ou cinza-escuro. Nas Celebes, os animais brancos, obtidos por seleção, são os mais apreciados. A fêmea distingue-se do macho por suas dimensões mais reduzidas, e das outras vacas por suas 4 tetas dispostas de modo quase transversal.

Costumes

O búfalo-indiano tem grande necessidade de água, tanto para beber como por higiene, a fim de se desembaraçar dos parasitos cutâneos, e só se sente bem em regiões muito úmidas: brejos, zonas baixas que bordejam os rios e lagunas salobras que costeiam o mar.

Paradoxalmente, seu gosto pelo banho dá-lhe muitas vezes uma aparência suja, pois cobre-o permanentemente uma crosta de lama seca. Seus movimentos pesados denotam força considerável aliada a grande resistência física.

búfalo-lama

Excelente nadador, atravessa sem esforço os rios mais largos. Entregue à própria sorte, o búfalo indiano é um animal de hábitos noturnos. Passa o dia imerso na água ou na lama e só começa sua atividade ao cair da noite.

Temperamento

O cruzamento, em particular, só se dá à noite. Muito frugal, come qualquer coisa, como o asno, o que o torna valioso em regiões pobres em ervas. Animal plácido e pacífico, o búfalo indiano mostra-se tão dócil que muitas vezes é conduzido por crianças. Mas, sempre que se vê atacado, defende-se com uma coragem e vigor notáveis. Na índia, os tigres evitam atacar os machos velhos, com os quais geralmente saem perdendo.

Origem

Não se sabe exatamente como o búfalo doméstico estendeu sua área de distribuição. Tendo chegado à Pérsia provavelmente atrás dos grandes exércitos de invasão, ou com as populações emigradas, pois já vivia ali no tempo de Alexandre o Grande, foi sem dúvida introduzido em seguida no Egito e na Síria pelos muçulmanos.

Suscitando certo espanto nos europeus, este animal surgiu na Itália em 596, sob o reinado de Aguilulf. Este grande Ruminante aclimatou-se perfeitamente no deita do Danúbio e nas regiões brejosas da Península Itálica, sendo por outro lado muito comum no Baixo Egito onde, juntamente com a cabra, é o único animal doméstico produtor de leite.

No centro de cada aldeia do delta do Nilo e do Alto Egito, encontra-se um grande lameiro de onde sobressaem as cabeças e os dorsos dos búfalos, os quais passam mais tempo aí do que nas pastagens.

Os búfalos adoram a água

A enchente anormal do Nilo é, para o búfalo, a melhor época do ano, sendo ele visto então percorrer a nado os campos inundados, comer o mato dos campos elevados que a água não atingiu, reunir-se em rebanhos numerosos e só voltar à hora em que as fêmeas devem ser ordenhadas.

búfalo-na-água

E típico o espetáculo de um grupo de búfalos nadando num rio com uma largura de pelo menos 1 km; seus guardas, quase sempre garotos de uns dez anos, sentam-se sobre a garupa de um dos animais e tranquilamente deixam-se levar no meio do rebanho.

O desembaraço destes Ruminantes na água é positivamente notável; mergulham, desaparecem sob a água, deitam-se de lado, quase sobre as costas, atravessam o rio a nado ou deixam-se levar pela correnteza sem fazer qualquer movimento.

Diariamente, passam entre 6 a 8 horas no rio, ruminando dentro da água com a mesma satisfação que seus congêneres, os búfalos-cafres, ruminam à sombra das florestas. Por outro lado, se forem privados de água, durante algum tempo, tornam-se inquietos e até mesmo impertinentes.

Comportamento

Animal muito silencioso, o búfalo não faz qualquer ruído quando repousa, nem mesmo emite sua voz quando pasta ou trabalha. Só as fêmeas que aleitam ou os machos furiosos soltam às vezes um mugido sonoro.

Nas regiões setentrionais, os búfalos cruzam em abril e maio, e os nascimentos ocorrem 10 meses depois. O recém-nascido vem ao mundo coberto por uma pelagem hirsuta e é objeto de cuidados atentos por parte da mãe, que õ defende, em caso de perigo, com toda coragem própria da raça. O búfalo cruza com facilidade com o zebu, ao passo que se mostra esquivo quando se trata do boi-doméstico.

Alimentação

São animais estritamente herbívoros. Sua alimentação engloba a pastagem local, pequenos arbustos, frutas e legumes.

alimentação-do-búfalo

O búfalo e o homem

O búfalo-indiano tem papel de importância primordial nas regiões pobres em proteínas. Com efeito, seu leite mostra-se mais rico em proteínas e corpos graxos do que o leite de vaca. apesar da alimentação pobre do animal.

Em alguns países, de modo especial no Egito e na Itália, o leite é utilizado no fabrico de queijos. Sobre a qualidade da carne de búfalo, as opiniões diferem. E provável que ela varie segundo as regiões e a alimentação do animal.

Dócil, muito rústico, resistindo bem aos parasitos e contentando-se com vegetais que os outros animais domésticos, exceto o asno, recusam, o búfalo-indiano, em sua distribuição, presta mais serviços que o boi. Tendo-se em vista a extensão dessa área, as variações regionais da espécie são consideráveis.

Tipos de búfalos

Distinguem-se dois tipos, segundo o habitat: o búfalo-dos-rios, difundido sobretudo na índia e cuja existência está ligada à água corrente, e o búfalo-dos-arrozais (ou búfalo-dos-alagados), que procura as águas paradas.

Por outro lado, constatou-se que os climas temperados provocam no búfalo uma espécie de gigantismo. Ao passo que os animais que povoavam as ilhas do Extremo Oriente eram, ao contrário, muito pequenos. Entretanto trata-se de uma lei geral em que o isolamento favorece o nanismo das raças insulares.

Gostou desse resumo sobre o búfalo indiano? Compartilhe!