Animais Carnívoros | Curiosidades e Exemplos da Ordem | Resumo

animais-carnívoros

Os mamíferos que constituem a ordem dos animais carnívoros apresentam uma grande variedade de formas e de dimensões. A seguir, curiosidades e exemplos da ordem em um resumo completo.

Características dos animais carnívoros

É difícil para um observador leigo encontrar um caráter comum a todos esses animais, podendo-se mesmo perguntar como os zoólogos reúnem num só grupo animais tão diferentes em tamanho e proporções como o gracioso gato, a hiena maciça e desajeitada, a elegante civeta, o cachorro robusto e alerta, o urso pesado e lento, a ágil marta.

Ainda mais que uns vivem na terra, outros nas árvores e outros ainda na água. Os animais carnívoros apresentam entretanto numerosos caracteres em comum. Seus membros, bastante desenvolvidos e de igual tamanho, são proporcionais ao volume do corpo, e possuem quatro ou cinco dedos livres, com unhas recurvadas, mais ou menos robustas e mais ou menos afiadas, em certos casos retráteis.

ordem-carnivora

Essas unhas ultrapassam a última falange. O maxilar e a mandíbula possuem, cada um, seis incisivos, dois caninos, ou colmilhos, cônicos, longos e muito fortes. Os dentes chamados carniceiros são os últimos pré-molares da maxila e os primeiros molares da mandíbula, e possuem duas ou três cúspides. A mandíbula só se pode deslocar verticalmente, não tendo qualquer outro movimento.

Curiosidades sobre animais carnívoros

Os animais carnívoros apresentam estômago simples e intestino geralmente curto, sendo o ceco quase inexistente. Praticamente todos os carnívoros possuem glândulas anais, particularmente desenvolvidas nos Mustelídeos e Viverrídeos, que secretam líquidos odoríferos. Estas glândulas são de tipos diferentes e a sua descrição detalhada é a seguinte:

  • Bolsas anais, que produzem um líquido de odor fétido, são muito importantes nas jaritacacas e reduzidas nos ursos.
  • Bolsas de almíscar ou glândulas perineais, características dos Viverrídeos, que secretam uma substância gordurosa de odor muito pronunciado.
  • Glândulas subcaudais, situadas entre o ânus e a cauda, que se encontram nos texugos e nas hienas, e que produzem uma secreção gordurosa e pastosa.
  • Glândulas tubulares, que circundam o ânus e são comuns a todos os Carnívoros. Estas diferentes glândulas da região perineal desempenham um papel muito importante no comportamento desses animais, nos quais o olfato é muito desenvolvido.

Suas secreções permitem o reconhecimento individual e específico, sendo usadas também na marcação de territórios e no reconhecimento dos sexos. Às vezes tais glândulas são defensivas, como nas jaritacacas, que repelem seus adversários secretando um líquido de cheiro repugnante. Finalmente elas podem ainda fornecer óleo para lubrificar os pelos.

Anatomia dos animais carnívoros

A cabeça dos animais carnívoros é mais ou menos alongada, a extremidade do nariz nua, os olhos grandes, a visão aguda, as orelhas retas e o lábio superior munido de bigodes ou vibrissas muito desenvolvidas.

jaguar-exemplo-de-animal-carnivoro

O crânio apresenta-se alongado e as órbitas profundas, sendo o conduto auditivo desenvolvido como os ossos e a cartilagem nasal. Esta conformação favorece o desenvolvimento dos sentidos da visão e da audição, que são primordiais nesses animais.

Nas vértebras, encontram-se longas apófises espinais. Graças a seus músculos e tendões muito fortes, os animais carnívoros podem executar movimentos ágeis, flexíveis, amplos e rápidos. Seus sentidos são muito aguçados. Se, nuns, o olfato se apresenta mais desenvolvido, em outros isso ocorre com a visão, a audição ou o tato.

Comportamento

Em geral corajosos, pacientes e espertos, os animais carnívoros são predadores que se alimentam de outros animais — Vertebrados e Invertebrados —, se bem que certas espécies comam também folhas, frutos, grãos e outras substâncias vegetais.

De acordo com seus hábitos alimentares, podem ser considerados onívoros ou carnívoros propriamente ditos, mas tais classificações não são rígidas, preferindo os onívoros sempre um bom pedaço de carne a qualquer outro alimento.

Relacionamento com os pares e filhotes

Certos animais carnívoros vivem sempre aos pares, embora a união seja transitória. Nos Felídeos e nos diferentes Mustelídeos, machos e fêmeas, durante a época do acasalamento e no período que a sucede, mantêm relações estreitas e constantes. Eles cooperam na busca de alimentos e na proteção necessária aos filhotes. Entretanto, na maior parte das espécies, o pai considera seus próprios filhos como alimento.

A mãe vê-se então obrigada a escondê-los e afugenta o companheiro se este logra descobrir-lhes o esconderijo. O número de crias, nascidas em cada ninhada, varia de maneira notável, raramente consistindo de apenas uma. Os recém-nascidos têm quase sempre os olhos fechados, mostrando-se desajeitados durante muito tempo. Mas depois seu desenvolvimento processa-se rapidamente.

curiosidades-sobre-os-animais-carnivoros

A mãe protege e educa os filhotes até que estes sejam bastante independentes para suprir as próprias, necessidades. Em caso de perigo, algumas fêmeas transportam as crias com o auxílio dos membros anteriores ou colocando-as sobre o dorso; mas a maioria serve-se da boca para carregá-las.

Habitat dos animais carnívoros

O território dos animais carnívoros varia muito segundo as espécies e seus hábitos. Em princípio, a região onde vive uma espécie é dividida em territórios individuais e recortada de passagens que os animais utilizam sem qualquer hostilidade da parte de seus companheiros, como por exemplo as trilhas que levam aos bebedouros.

Dentro deste domínio localizam-se os territórios individuais ou familiares, cujos limites são menos nítidos quando os animais vivem em comunidade. O território de cada animal é, por definição, ardorosamente defendido contra qualquer intrusão, inclusive de outros da mesma espécie. Em geral, a defesa de um território não chega a exigir combate. Uma atitude ameaçadora é suficiente, só se verificando luta de verdade quando o invasor é mais forte que o ocupante.

Demarcação de território

Entre os processos usados pelos Carnívoros — e por muitos outros animais — para demarcar seu território, figuram os sinais odoríferos, visuais e acústicos. Os sinais odoríferos são as secreções das glândulas perineais, das quais já falamos. A urina serve, também, para delimitar territórios, principalmente nos Carnívoros, o que qualquer possuidor de um cão doméstico pode observar. As Aves servem-se do sinal acústico, emitindo um canto particular.

O território tem como centro o abrigo, ninho, toca ou habitação do animal, e compreende uma zona de dimensão variável que o circunda e na qual nenhum outro animal penetra.

Ordem dos carnívoros – Resumo

Em resumo, a ordem dos animais carnívoros compreende espécies que apresentam as seguintes características:

  • Regime alimentar essencialmente carnívoro, por vezes ictiófago ou onívoro.
  • Dentição muito variável, segundo as famílias, mas em geral constituída de 42 dentes, assim distribuídos: 12 incisivos, 4 caninos, 16 pré-molares e 10 molares, sendo 4 inferiores.
  • Encéfalo com hemisférios bem desenvolvidos.
  • Clavícula rudimentar ou inexistente.
  • Crias que nascem fisiologicamente pouco desenvolvidas, de olhos fechados, nuas, incapazes de andar. Esta ordem, que possui larga distribuição geográfica, é dividida em duas subordens: os Fissípedes, Carnívoros terrestres, e os Pinípedes, animais cujos membros, transformados em nadadeiras, são adaptados à vida aquática.

Exemplos de animais carnívoros

Fissípides

Os animais que pertencem a esta subordem possuem patas munidas de quatro a cinco dedos. São plantígrados, isto é, quando andam apoiam-se sobre toda a planta do pé (o urso, por exemplo), ou digitígrados, caso em que somente as extremidades dos dedos estão em contato com o solo (como o leão).

Os olhos são dotados de uma camada de células especiais. De regime alimentar essencialmente carnívoro, possuem estômago muito simples. Esta subordem é dividida em sete famílias:

  • Felídeos;
  • Hienídeos;
  • Viverrídeos;
  • Mustelídeos;
  • Prociónídeos;
  • Ursídeos;
  • Canídeos.

Os maiores animais carnívoros da atualidade

Continue aprendendo sobre CIÊNCIAS RESUMOS

Gostou desse artigo sobre os animais carnívoros? Compartilhe!